Bem-vindo -
14/03/2024

Tratamento de esgoto em Bauru está entre os piores do Brasil

Enquanto cidades como Marília avançam e se tornam referências em saneamento básico, Bauru figura nas piores posições do país com apenas 1,77% do esgoto tratado.

Um recente levantamento divulgado pelo Instituto Trata Brasil posiciona Bauru entre os cinco municípios com o pior tratamento de esgoto no Brasil, ao lado de cidades como São João de Meriti (RJ), Governador Valadares (MG), Nova Iguaçu (RJ) e Ananindeua (PA).

O estudo revela que apenas 1,77% do esgoto produzido em Bauru é devidamente tratado, deixando a vasta maioria dos mais de 300 mil habitantes sem o serviço básico de saneamento. O esgoto não tratado é despejado diretamente no Rio Bauru e em seus afluentes, expondo a população a riscos de saúde pública e impactando negativamente o meio ambiente.

Investimento insuficiente e Atrasos nas Obras

A situação se agrava com a descoberta de que menos de 20% das tarifas pagas pelos serviços de água e esgoto são reinvestidos no sistema de saneamento da cidade. "É muito pouco, e esse número vem diminuindo," aponta Edson Carlos, presidente executivo do Instituto Trata Brasil. Ele ressalta que a maior parte do recurso arrecadado não é destinada ao melhoramento do sistema de saneamento, mas sim ao caixa da prefeitura ou da empresa responsável pelos serviços.

No Parque Industrial Manchester, uma das regiões afetadas, os moradores ainda dependem de fossas sépticas para o escoamento de seus dejetos. As águas usadas nas residências acabam escoando pelas ruas, evidenciando a falta de uma infraestrutura adequada de saneamento, mesmo em áreas com moradias regularizadas.

CEI Investigou atrasos na construção de Estação de Tratamento

Diante deste cenário, uma Comissão Especial de Inquérito (CEI) foi instaurada para investigar os atrasos nas obras da Estação de Tratamento de Esgoto Candeia, situada no Núcleo Gasparini. A estação, que deveria ser uma solução para parte do problema, até agora beneficia apenas uma fração mínima da população de Bauru.

A crise de saneamento básico em Bauru chama atenção para a necessidade urgente de investimentos e ações efetivas para reverter esse quadro. A falta de saneamento básico não só coloca em risco a saúde da população como também compromete a qualidade de vida e o desenvolvimento sustentável da região.

Enquanto cidades como Marília avançam e se tornam referências em saneamento básico, Bauru enfrenta desafios significativos que exigem a atenção e o comprometimento de todos os setores envolvidos, desde as autoridades locais até a população, para que soluções eficazes sejam implementadas. A situação de Bauru serve como um lembrete crítico de que o acesso ao saneamento básico é um direito fundamental e um pilar essencial para a saúde pública, o bem-estar social e a sustentabilidade ambiental.

Compartilhe!
Deixe seu comentário

Veja
Também

Marília Urgente - Sua Notícia em Marília e Região
© Copyright 2019 Marília Urgente - Sua Notícia em Marília e Região. Todos os direitos reservados.